Portal Cavalos & Cavalgadas

"O PONTO DE ENCONTRO DE QUEM AMA CAVALGAR"

Como entender os sinais e o comportamento dos cavalos

Como entender os sinais e o comportamento dos cavalos

cavalo é um ser vivo que causa o fascínio da grande maioria das pessoas. Independentemente da pelagem, da raça e do porte, dificilmente, conheceremos pessoas com restrições aos cavalos. A sua beleza e imponência torna-o uma unanimidade. Ele é um animal dos mais sensitivos do planeta, sendo capaz de sentir uma mão ou uma perna trêmula, um estado de irritação do cavaleiro ou amazona. Existem diversas histórias que comprovam a percepção extra sensorial dos equídeos, considerada como um sexto sentido.

Os equinos possuem excelente acuidade visual, bom olfato, sensibilidade ao tato, ótima audição e gustação. Tais “poderes” podem ser facilmente observados quando estes rejeitam uma nova ração, ou pela grande seletividade de gramíneas, a reação da pele ao pouso de uma pequena mosca, os movimentos das orelhas e a cabeça erguida a qualquer som diferenciado e a capacidade de visualização à noite.

“Quanto à percepção extrassensorial, basta que desenvolvamos maior capacidade de observação para depararmos com situações curiosas como mudanças de hábito dos animais, momentos antes da chegada do seu proprietário, ou ainda relutância do animal a passar por locais onde existam situações de perigo ou outros equinos sepultados”, afirma o professor Haroldo Vargas Leal Júnior


Observando os sinais

Os equinos têm uma forma peculiar de se comunicarem por meio de sinais, quer seja com as orelhas, as narinas, a cauda, os olhos, a cabeça, os membros, entre outros. Observando o comportamento, muitas conclusões podem ser tiradas. Vejamos:

  • Quando o cavalo está com o pescoço alto, balançando a cabeça para baixo e emitindo sons, roncos ou relinchos, isto é sinal de aprovação, ou tentativa de chamar a atenção;

  • Narinas dilatadas, orelhas eretas e para frente é sinal de atenção;

  • Trabalhando na guia ou redondel, o animal, geralmente, posiciona a orelha de dentro para o círculo em direção ao treinador e a orelha de fora fica alternando sua posição. Isto também é sinal de que o animal está trabalhando atento e concentrado;

  • Caso trabalhe com orelhas para trás e esteja inquieto, alternando as andaduras, isto pode significar cansaço, descontentamento, ou ainda, indisciplina;

  • Garanhão com lábio superior levantado, com a cabeça para cima, as narinas fechadas e a respiração forçada significa que estão com a libido exacerbada, sentindo éguas próximas. Este sinal se chama Reflexo de Fleming;

  • Animal com uma pata levantada e somente a pinça do casco apoiada, significa que está descansando;

  • Animal batendo a cauda de um lado para o outro, acompanhado ou não de membros batendo ou raspando o chão significa irritação, insatisfação. Cuidado!;

  • As narinas dilatadas são um sinal de alerta; se o animal soltar o ar com força pelas narinas , emitindo sons, isto significa excitação ou vontade de chamar a atenção;

  • Os olhos são de mais difícil interpretação. Olhos um pouco fechados, com orelhas para trás e animal cabisbaixo, triste, pode significar dor, febre ou outro problema de saúde;

  • Cavalos dormindo, geralmente, ficam em pé, cabisbaixos, com olhos totalmente ou quase totalmente fechados;

  • Equinos com a cauda levantada, que chamamos de cauda em bandeira, mostra que o animal está excitado. No caso de éguas, cauda levantada, acompanhada de pequenos jatos de urina e reversão dos lábios vulvares deve indicar animal em cio. Lembrar que, para urinar e defecar, a égua também levanta a cauda;

  • Machos inquietos, procurando ficar esticados com membros para frente, indicam desejo ou preparação para urinar;

  • Éguas procurando garanhões podem ficar alternando a posição das orelhas;

  • Cavalos trabalhando com gado, em provas de laço, apartação, “buldogging”, “team penning”, geralmente, ficam com as orelhas totalmente voltadas para trás;

  • Trabalhando provas de salto, rédeas, marcha, adestramento e outras, as orelhas ficam para frente ou alternando-se;

  • Quando nos aproximamos do animal com objetos, geralmente, ele olha, vira a cabeça em direção ao objeto, solta ar pelas narinas, mostrando desconfiança;

  • O sinal mais perigoso e merecedor de todo o cuidado são orelhas totalmente voltadas para trás, cauda entre as pernas e olhos esbugalhados. Cuidado! Aí vem coice.

Observando o comportamento

São muitas as alterações no comportamento dos equídeos que podem indicar problemas. São elas:

  • A sobra de comida no cocho, por exemplo, deve ser sinal de preocupação. Cheque se não foi colocado alimento em excesso, se o alimento está de boa qualidade, se não houve alteração na qualidade e, ou, quantidade em relação à penúltima oferta;

  • Animal cabisbaixo, bebendo muita água e brincando com água no cocho, ou ainda muito tempo dentro de lagos ou represas podem indicar quadro de febre. Animais com olhos tristes, irrequietos e cabisbaixos, podem estar com dor;

  • Olhos e bocas secos e pele do pescoço com pouca elasticidade podem indicar desidratação;

  • Cavalo inquieto, tentando posicionar-se para urinar sem conseguir pode estar com problemas renais;

  • Equinos com intensa sudorese, muito irrequietos e jogando-se frequentemente no chão devem estar com uma cólica grave e necessitando intervenção do médico veterinário com extrema urgência;

  • Equídeos raspando o chão, olhando para o flanco, deitando esporadicamente, rolando no chão e com sudorese também pode ser indicativo de uma cólica, que é a doença responsável por uma grande mortalidade nesta espécie;

  • Quando o flanco está aumentado e a cauda constantemente levantada pode também indicar cólica gasosa;

  • Potros com nádegas, cauda e pernas sujas devem estar com diarreia. Se estiverem tristes podem estar febris e, ou, desidratados;

  • Animais com dificuldade de locomover-se, com musculatura tensa ou não também podem estar com um grave problema.

 

Por: Andréa Oliveira – Centro de Produções Técnicas

Notícias Recentes

publicidade